ARROZ IMPRÓPRIO EM GRANDE QUANTIDADE APREENDIDO PELA PJ NUM ARMAZÉM EM BISSAU

A Unidade Nacional de Repressão a Delitos Económicos da Polícia Judiciária fez quarta-feira, 29 deste mês, uma apreensão num armazém em Bissau na AV. Dr. Kumba Yalá-Guimetal, de uma grande quantidade de arroz de marca Tulip perfumado fora do prazo de consumo humano, desde 2019, mas que estava a ser comercializado no mercado nacional.

O proprietário do armazém é um cidadão com dupla nacionalidade, Guiné-Bissau e Conakry, tendo como parceiro um paquistanês, ambos indiciados e sob medidas de coacção.

A apreensão se concretizou através de uma denúncia anónima feita à PJ, a bem pouco tempo. 

A data de expiração do arroz em causa é desde Fevereiro de 2019 mas adulteraram a data para Fevereiro de 2023 e puseram à venda o cereal impróprio no mercado nacional.

De momento, o armazém encontra-se cerrado e pede-se a colaboração da população para estar atento na verificação da data de validade e estado de conservação de qualquer produto, antes de ser comercializado e consumido, de modo a evitar  situação de género.

A investigação continua para identificar e capturar mais envolvidos neste atentado à saúde pública

PJ, 29.04.2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.